bootstrap modal

PORTFÓLIO

Espetáculos de anos anteriores

3 ABÓBORAS E 400 CAMELOS

a partir das obras"As Três Abóboras" de António Torrado e "Sábios como Camelos" de José Eduardo Agualusa, 2017/18

A peça "As Três Abóboras" conta a história de um pobre camponês que enriqueceu graças à sua bondade e honestidade: dialogando com as suas abóboras, que eram para ele o seu bem mais precioso, é interrompido por um mendigo esfomeado que lhe pede uma sopa de abóbora, ensinando aos mais novos a importância da generosidade e ajuda ao próximo.

Por seu turno, "Sábios como Camelos" é um conto que convida a imaginar e a partilhar a aventura da «inventividade», permitindo fantasiar livremente a realidade.  O protagonismo é concedido a uns camelos tornados sábios e falantes, porque engoliram muitos livros, animais aqui conotados com a memória e, de certo modo, com a generosidade. Neste, como em muitos outros contos, as personagens-animais servem como figuras de reposição do equilíbrio, levando as personagens humanas a refletir, a reconsiderar e a optar pelo Bem e pela Justiça. Deste modo, o final inusitado e feliz é determinado pela intervenção de um camelo.


ALI BABÁ E OS 40 LADRÕES

a partir da obra "As Mil e uma Noites", 2016-2018

Esta história tem a sua origem na saga do rei Ali Babá do Sudão: o rei recusou-se a pagar os impostos a Al-Mutawakkil, e selou todo o ouro nas montanhas. Bagdad enviou o exército para manter o seu poder sobre a comercialização do ouro do mundo islâmico e, em cinco anos, a rebelião foi esmagada. Ali Babá, levado a Bagdad, transportou todo o ouro escondido pelos seus homens para o legatário e a exibição pública do grande tesouro e do rei derrotado criou o mito da caverna e da lenda dos quarenta ladrões. 

AS AVENTURAS DE PINÓQUIO

a partir da obra de Carlo Colodi, 2016/17

A partir do original de Carlo Collodi, esta é a história do boneco de madeira que desejou tornar-se um rapaz de verdade.

Tudo começa quando o desprevenido Gepeto esculpe um pedaço de madeira que consegue falar e andar. Assim nasce Pinóquio que, depois de causar vários problemas a Gepeto, vive inúmeras aventuras. No seu percurso é perseguido pela Raposa e pelo Gato que o tentam enganar. Aconselhado pelo Grilo Falante e pela Fada Azul, vai sempre escapando dos problemas que vai arranjando.

As aventuras de Pinóquio, publicadas entre 1881 e 1883 pelo italiano Collodi, são famosas pela marionete a quem crescia o nariz a cada mentira contada. O conto apresenta uma narrativa que expressa coragem, lealdade, honestidade e virtudes que ajudam as crianças a construírem os seus próprios pensamentos e atitudes, a caminho do desenvolvimento da moralidade infantil: as obras de Collodi sempre se destacaram pela sua influência pedagógica.

DO CÉU CAIU UM ANJINHO

de Fernando Gomes, 2016

A ação decorre nos anos 50, uma época em que a rádio estava instalada nos lares dos portugueses, passou a ser a mais importante fonte de entretenimento e para muitos, a única companhia. Tratando-se de uma comédia de enganos, naturalmente não vai faltar o humor, através das situações imprevisíveis e caricatas a que as personagens vão estar sujeitas. Amor, humor...

Um espetáculo com características bem portuguesas, que se pretende popular, burlesco, divertido e de qualidade. Um regresso ao passado... Mas que conta uma história de todos os tempos.

ROBERTICES

a partir da obra de Luísa Dacosta, 2015/16

Como escreve Luísa Dacosta nas primeiras páginas, Robertices pretende recordar a tradição popular dos espetáculos de rua com os toscos robertos que tanto maravilharam crianças e os adultos, "no tempo em que havia tempo para ter tempo e um dia sem escola podia ser uma eternidade". A obra faz um confronto entre a realidade, a ficção e as memórias de infância da autora: quando criança, Luísa Dacosta gostava muito de ver as histórias dos robertos, um tipo de marioneta tradicional que consegue alegrar qualquer peça de teatro com algumas pauladas e diabruras. Essa memória de infância é partilhada nesta obra pela escritora, que adaptou para teatro de robertos duas histórias tradicionais – a da Carochinha (que nesta versão tem um final mais feliz do que na história original) e a do freguês caloteiro que queria aparar barba e cabelo sem gastar dinheiro.


ESTENDAL DE CONTOS

a partir da obra dos Irmãos Grimm,  2014/15

Um espetáculo que visitava dois clássicos da literatura infantil de todos os tempos: A Princesa e a Ervilha e Os Músicos de Bremen.

Contava-se a história do príncipe que, entediado, resolve que o melhor a fazer para se animar é casar. Uma sincera donzela aparece no castelo, alegando ser uma verdadeira princesa... mas isso teria de ser confirmado!

A outra, é a singela historia onde quatro animais rejeitados formam um grupo musical e fazem sucesso. O burrico, aposentado, juntou-se a um velho cão, a um gato e a um galo pra cantar uma canção.

ÁGUAS PASSADAS

de Leonor Barata, 2012

Esta viagem até à história das Termas de S. Pedro do Sul é uma criação de Leonor Barata, que foi professora de três dos quatroelementos do elenco no curso de Teatro do Colégio S. Teotónio. Ao longo do espetáculo, os quatro atores - Diogo Geraldes, Ricardo Figueiredo, Fernando Alves e Paulo Ribeiro - interagiam com o público, que acabava por participar ativamente no enredo.

O público foi o convidado especial numa receção à moda antiga no Balneário Rainha D. Amélia. Durante o percurso acabou por se tornar cúmplice e participante ativo das várias peripécias e dos vários problemas com que os atores se depararam enquanto tentavam, de forma lúdica e divertida, mostrar de onde vem a água pura e milagrosa que brota nas termas de São Pedro do Sul.

Esta criação surgiu na sequência de um convite da Termalistur, a empresa que gere as Termas de S. Pedro do Sul.

AS (DES)AVENTURAS DE SERAFIM E MALACUECO

a partir da obra de António Torrado,  2012/13

Esta é uma adaptação da peça original de António Torrado, "Serafim e Malacueco na corte do Rei Escama". Narra a história de dois amigos vagabundos, Serafim e Malacueco, e das suas aventuras até chegarem à corte do rei Escama onde ficam a servir até conseguirem escapar.

SIGA-NOS!

MORADA
Travessa Vale do Rosal, Lote7 1º Esq
3040-321 Coimbra, Portugal


CONTACTOS
Produção - 912 097 195 | atrapalharte@atrapalharte.pt

Serviço Educativo - 915 696 862  | turmas@atrapalharte.pt

Agradecemos a sua mensagem!