free html5 templates

A GIRAFA QUE COMIA ESTRELAS

- Ensino Pré-escolar, 1º Ciclo e Público Geral -


Escritor angolano de ascendência portuguesa e brasileira, José Eduardo Agualusa é uma das mais importantes vozes da literatura africana de expressão portuguesa, estando os seus livros traduzidos em 25 idiomas. Estudou Silvicultura e Agronomia em Lisboa, mas abandonou a faculdade para se dedicar ao jornalismo e à literatura: segundo o autor, tornou-se escritor em bibliotecas, porque de outra forma nunca teria tido acesso a tantos livros, e todos os escritores são, antes de mais, grandes leitores. E ainda bem para nós, que adorams todos os seus livros!


A Girafa que comia estrelas conta a história da girafa Olímpia e da galinha do mato Margarida, duas amigas inseparáveis: a girafa de pescoço comprido passa o dia a furar as nuvens para tentar ver os anjos e a noite a comer as estrelas do céu, que às vezes fazem azia. A galinha do mato faz das nuvens a sua casa e colecciona objectos brilhantes (como um olho de vidro do pirata da perna de pau!). Um dia, a savana onde viviam fica sem nuvens e o sol começa a secá-la. As duas amigas procuram nuvens em céus distantes e sopram-nas para a savana e, com um espirro, Olímpia consegue chuva suficiente para encher de verde a savana doente de seca. Esta história é um excelente ponto de partida para explicar aos mais pequenos  a questão das alterações climáticas e a importância da responsabilidade e consciencialização ambiental.


Inserido no Plano Nacional de Leitura e nas metas curriculares do 2º ano, este é a nova aposta da AtrapalhArte para o ano letivo 2019/20!

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA 

Era uma vez uma girafa chamada Olímpia, que não era uma girafa qualquer: é que Olímpia comia estrelas e vivia com a cabeça nas nuvens! Um dia conheceu a galinha Margarida e as duas tornaram-se grandes amigas, mas a vida de ambas estava prestes a mudar quando se viram obrigadas a partir em busca de uma solução para acabar com a seca. É que embora Olímpia comesse estrelas, todos os outros animais comiam plantas que dependiam da chuva para crescer... Esta é uma história sobre amizades improváveis, que mostra a importância da preservação da Natureza e como espécies diferentes podem viver em harmonia.



Inspirado no texto original de José Eduardo Agualusa Encenação: Cristóvão Carvalheiro

Interpretação: Eurico Santos, Jaqueline Figueiredo e Tânia Catarino

Duração: 45 minutos Classificação: M 3

REQUISITOS TÉCNICOS Espaço: 6,50 x 6,50 metros Som: disponibilizado pela companhia 

EQUIPA DE TRABALHO AtrapalhArte: 3 atores


No final do espetáculo, haverá uma sessão de esclarecimento que permite aos alunos colocarem questões e esclarecerem dúvidas acerca da obra ou da peça que viram. Também será possível aos professores tirar fotos às turmas com o cenário e elenco.




MORADA

Rua Feliciano de Castilho, nº 111B, 3º Esquerdo 3030-325 Coimbra

CONTACTOS
Produção e Espetáculos - 912 097 195 | atrapalharte@atrapalharte.pt

Turmas e Oficinas de Teatro - 915 696 862  | turmas@atrapalharte.pt

Agradecemos a sua mensagem!

Apoios: